A “Cura Gay” E a ética da Grande Midia!

0
115

“Quando uma mulher decide abortar, a mídia e os militantes feministas levantam suas bandeiras e dizem que a mulher é dona de seu próprio corpo e cabe a ela decidir. Mas quando um homossexual resolve procurar um psicólogo para falar sobre sua sexualidade então ele não é dono de si mesmo e não pode decidir.”

O que fica bem claro para nós, após o acontecimento da tão famigerada “Cura Gay”, é que para a mídia não importa mentir, tudo o que importa é gerar conflitos sociais, pois é daí que nascem as polêmicas que servem de alimento para a audiência lucrativa. Esta trágica realidade onde o lucro se coloca acima da verdade tem produzido uma narco-geração dopada e amortecida, que não consegue mais pensar por si mesma.

Ironicamente, o fenômeno da desinformação está impregnado nas instituições que deveriam prover a informação e o esclarecimento. Eu arriscaria dizer que a mídia aberta hoje não serve para nada, mas a verdade é que ela tem servido aos interesses mais escusos que possamos imaginar. Alimenta a guerra de classes e destrói os relacionamentos coletivos. Gera um fruto de individualismo que amadurece cada vez mais. E a semente deste fruto é plantada em um campo ainda mais fértil, do egoísmo, onde somente os interesses individuais é que importam. Assim o direito de subjugar outro ser-humano passa a se tornar normal em uma cultura que diz: “Malandro é Malandro – Mané é Mané”.

Além da mentira ainda temos a incoerência e a Hipocrisia pois veja bem, quando uma mulher decide abortar, a mídia e os militantes feministas levantam suas bandeiras e dizem que a mulher é dona de seu próprio corpo e cabe a ela decidir. Mas quando um homossexual resolve procurar um psicólogo para falar sobre sua sexualidade então ele não é dono de si mesmo e não pode decidir.

Que incoerência é essa onde hora as pessoas são donas do seu próprio corpo e depois não são mais. Onde a liberdade converge somente para o lado das ideologias. Um homem ou uma mulher são livres para mudar seu fenótipo, se casar com o mesmo sexo, e não são livres para ir ao psicólogo. Hora tenha santa paciência.

Então a realidade conclusiva é que, se você estiver disposto a representar qualquer bandeira ideológica você será livre, mas se em algum momento você descobrir que foi enganado, e saiba que descobrirá, não poderá mais voltar atras pois a liberdade ideológica não compactua com a verdade!

Veja as principais manchetes dos últimos dias sobre esse assunto e tire suas conclusões:

Diário Catarinense: Justiça permite que psicólogos tratem homossexualidade como doença

O Tempo: Justiça Federal permite tratar homossexualidade como doença

Veja: 
Justiça permite tratar homossexualidade como doença

G1 (Globo) : 
Justiça gera polêmica: permite tratar homossexualidade como doença

Folha de São Paulo: 
Justiça concede liminar que permite tratar homossexualidade como doença

F5: 
Famosos se manifestam contra a decisão de tratar homossexualidade como doença

Estadão: 
Juiz libera cura gay por psicólogos

O uso do termo “cura gay” também foi encontrado em diversos veículos, tentando passar a ideia de que a decisão judicial seria preconceituosa e discriminatória:

Época (Globo): Cura gay: “Reorientar gays é como embranquecer negros contra o preconceito”, diz psicólogo

Correio Braziliense: 
Ex-alunos de juiz que permitiu cura gay criticam posicionamento do docente

Mas o que diz a decisão do juiz?
O juiz teve o cuidado de declarar em sua decisão que: “a homossexualidade constitui variação natural da sexualidade humana, não podendo ser, portanto, considerada como condição patológica” (grifo nosso).  Portanto, a decisão judicial que motivou o fenômeno midiático, começa mostrando claramente que NÃO cabe falar em “cura gay” ou “homossexualidade enquanto doença”.

Loading...